Iconostasis representa a zona limítrofe entre o mundo divino e o mundo humano – e também os caminhos de união entre os dois mundos.

No contexto da ortodoxia, a tradição do ícone apresenta uma forma de conhecer o Divino e o atemporal através da imagem. O filme trata exatamente da arte sagrada do ícone como intermediária entre o mundo divino e o mundo humano, partindo do pensamento do filósofo russo Pável Florenski, e chegando ao cinema de Andrei Tarkóvski – que dialoga profundamente com esta tradição. Estes dois personagens têm em comum terem sido intensamente religiosos vivendo em plena URSS – Florenski morreu num Gulag, Tarkóvski exilado na Europa.

O documentário de longa-metragem penetra na tradição do ícone desde Bizâncio, passando pela continuação desta tradição na Rússia, nos mosteiros da Trindade e Serguei Possad, e pela obra do pintor russo de ícones Andrei Rublióv, até chegar ao cinema de Andrei Tarkóvski (que retratou a vida do monge pintor de ícones no filme homônimo). A própria realização de um ícone de forma litúrgica tradicional será mostrada no filme

"A arte é um sonho que encarnou."

Pável Florenski

O filme Iconostasis trata de uma tradição cristã tão antiga quanto o cristianismo: a tradição do ícone, e será realizado em três etapas através de um financiamento coletivo, filmado em 2016 e 2017 na Rússia – na cidades de Moscou e Suzdal. Com entrevistas, voz off de textos de Tarkóvski e Florenski, e imagens dos lugares onde estão as relíquias ortodoxas, assim como cenas dos filmes de Tarkóvski.

$6,156.00
Atingidos da meta de $35,000.00
64
Arrecadados
39
Dias faltantes
Crowdfunding acaba em
January
18
2017
 

Artigos sobre o tema

A linhagem sagrada de Andrei Tarkovsky

Por Josias Teófilo | Publicado na revista Continente de abril de 2012 O russo Andrei Tarkovsky entrou para a história do cinema com apenas sete longas-metragens, cinco deles feitos na União Soviética e os outros dois na Itália e na Suécia, na década de 1980, já no exílio. Seu legado, entretanto, não é exclusivamente cinematográfico. Seguindo uma tradição russa de artistas que são também teóricos da arte – entre o final do século 19 e o começo do século 20, Tolstoi escrevera seu polêmico ensaio O que é a arte?, Kandinsky, o livro Do espiritual na arte, e Malevitch, ...

A perspectiva inversa de Pável Floriênski: a Rússia como herdeira

Por Josias Teófilo | Publicado na revista Continente. No filme Nossa música, Jean-Luc Godard – interpretando a si mesmo – conta a história de Bernadette, jovem pobre e fisicamente frágil de Lourdes, cidade da região montanhosa da França, que, aos 14 anos, diz ter visto as aparições da Virgem Maria numa gruta. Depois de entrar para o convento, a madre superiora e o bispo a perguntam como ela é, ao que Bernadette diz não saber descrever. Eles a mostram, então, reproduções de grandes pinturas religiosas, as Madonas de Rafael, Murilo, etc., e Bernadette diz: “Não, não é ...